04/02/2005

O principezinho (Capitulo XI)

"(...)O segundo planeta, um vaidoso o habitava.

- Ah! Ah! Um admirador vem visitar-me! - exclamou de longe o vaidoso, mal vira o príncipe.

Porque, para os vaidosos, os outros homens são sempre admiradores.

- Bom dia, - disse o principezinho. - Você tem um chapéu engraçado.

- É para agradecer, - exclamou o vaidoso. - Para agradecer quando me aclamam. Infelizmente não passa ninguém por aqui.

- Sim? - disse o principezinho sem compreender.

- Bate as mãos uma na outra, - aconselhou o vaidoso.

O principezinho bateu as mãos uma na outra. O vaidoso agradeceu modestamente, erguendo o chapéu.



- Ah, isso é mais divertido que a visita ao rei, - disse consigo mesmo o principezinho. E recomeçou a bater as mãos uma na outra. O vaidoso recomeçou a agradecer, tirando o chapéu.

Após cinco minutos de exercício, o principezinho cansou-se com a monotonia do brinquedo:

- E para o chapéu cair, - perguntou ele, - que é preciso fazer?

Mas o vaidoso não ouviu. Os vaidosos só ouvem os elogios.

- Não é verdade que tu me admiras muito? - perguntou ele ao principezinho.

- Que quer dizer admirar?

- Admirar significa reconhecer que eu sou o homem mais belo, mais rico, mais inteligente e mais bem vestido de todo o planeta.

- Mas só há você no seu planeta!

- Dá-me esse gosto. Admira-me mesmo assim!

- Eu te admiro, - disse o principezinho, dando de ombros. - Mas como pode isso interessar-te?

E o principezinho foi-se embora.

As pessoas grandes são decididamente muito bizarras, ia pensando ele durante o resto da viagem. (...)"


[Pois é... Deu-me para ler livros de criança e, estou a aprender tanto das pessoas grandes que nem me apetece crescer. Apesar de achar que já todos leram este livro quando eram mais novos, aconselho a uma nova leitura agora. Tem outro valor, outro sentido. É engraçado como nas coisas mais simples encontramos as respostas as perguntas mais complicadas.]

16 comentários:

  1. O meu livro preferido...
    Tenho 2 exemplares... só li cada um uma vez!
    :)
    Beijo

    ResponderEliminar
  2. Crescer ??? Crescemos, claro... mas o importante é manternos dentro de nós akela criança que nos desperta a curiosidade em querer saber, em querermos brincar qd o dia esta triste, akela criança q nos anima e nos faz viver... nita_ jinhos ... ganha asas e voa...

    ResponderEliminar
  3. livro para crianças?...
    nao, nao o interpreto como um livro para crianças.
    li-o também eu na minha primeira infância,e gostei. um livro com imagens, com letras fáceis de ler, pequeno...
    há uns tempos li.o de novo, e consegui ver algumas das críticas que Sant-Exupéry escondeu nas falas do Principezinho...
    Acho que acima de tudo é um livro muito bonito, quer pelas ilustrações, quer pela simplicidade...

    (: beijo

    ResponderEliminar
  4. Insistimos sempre em complicar as coisas porque somos adultos, e como adultos que somos temos de complicar as coisas, porque para os adultos tudo é complicado. Disse somos? Corrijo então, eu não o sou. Nada melhor para nós e para vocês adultos do que nos explicarem as coisas como explicam ás crianças. A compreensão é rapida logo a satisfação é grande. A beleza, neste caso, está na simplicidade. ** Bom fim de semana

    ResponderEliminar
  5. Aquela alí em cima.. Sou eu! a Succubus :)

    ResponderEliminar
  6. Quem disse que o principezinho é um livro de crianças?

    ResponderEliminar
  7. O melhor livro que já li.. e que guardo religiosamente... curiosamente só o li deposi de crescer... depois de julgar que era um chapéu.. e não um jiboia com um elefante em digestão...

    A a minha ancora... que me puxa em direcção à Neverland... pois lembra.me que afinal não é um chapeu...

    ResponderEliminar
  8. ...que delicia.
    Não leio todos os dias, mas recordo-o muitas, e há muito que já não preciso de o ler, porque o sei quase de trás para a frente. Porque há uma parte de nós que não deve deixar-se abrir e deitar fora a magia das coisas simples e essenciais. Porque há uma parte de nós que não deve crescer.
    BJ
    SK

    ResponderEliminar
  9. Recebi o livro como presente de natal o ano passado...

    Admito que olhei para ele com um certo desdem... Um livro para crianças pensei eu? Enganou-se no embrulho certamente...

    Uns meses mais tarde, peguei no livro, achei por bem lê-lo... Livro para crianças não era... ;) ***

    ResponderEliminar
  10. Este livro é um daqueles casos em que quase seria de dizer :

    Um livro de crianças para toda a gente ler !

    ResponderEliminar
  11. Não sei bem se será um livro de crianças, mas sim um livro para a vida.
    Quanto mais crescemos, sim, porque a isso a vida nos obriga, novas interpretações conseguimos fazer e tirar de uma nova leitura ao livro, ou até a um pequeno excerto. Um pequeno grande livro, sem dúvida alguma.
    Sabes Nita as coisas simples são sempre as mais belas e tb as mais difíceis de alcançar para nós adultos, que para além de complicarmos muitas vezes um problema, temos o "dom" de fecharmos os olhos e a alma ás coisas simples... só porque são simples... pena é que não percebamos que são essas mesmo que nos dão o sorriso do dia a dia.

    ResponderEliminar
  12. Tornam-se cada vez mais importantes os comentários que me deixam e as sauddes aumentam e muito. COmeçamos a ver que é mais de que um gosto, que o que escrevemos já não é só para nós. É um partilhar. A ideia de regressar começa a ganhar forma, para quando for possível. E as tuas palavras forma uma grande ajuda. Obrigada! E mesmo não nos conhecendo fisicamente, acabamos por nos conhecerno que talvez haja de mais fundo em nós.

    Essa também é uma das minha frases preferidas ;) e esta: "Às vezes é preciso Desfazer o nó Desancorar por dentro Quem se amou Deixar seguir Abrir os braços E ver o que ficou ", descobri que ficou muito e muita gente!


    Bjinhos e continuarei sempre a vir aqui :)

    ResponderEliminar
  13. é engraçado como pequenas letras brancas num fundo preto se encontram de tempos a tempos, pra comentar outras letrinhas brancas que povoam um mar de frases tão soltas, tão tuas...e tão nossas, também, que as lemos e com as quais nos identificamos..
    e de um dia para o outro dou por mim a visitar o teu, antes mesmo do meu blog, só pra ver se já dispensaste mais algumas letrinhas brancas das que guardas em ti, nesta tela preta.

    quanto ao principezinho, só mais uma coisa..
    deste.me vontade de o ler outra vez!(:

    ResponderEliminar
  14. Sempre ouvi falar do principezinho mas nunca me deu vontade de o ler... Na verdade, nunca fui rapariga de fantasias, o peter pan nem sequer era o meu desenho animado favorito! Nos últimos dias do ano passado, decidi que talvez fosse melhor tentar encontrar a "criança" dentro de mim. Às vezes apetece sonhar, perder-me num mundo que não é meu nem nunca será, apenas por alguns momentos, para me esconder deste mundo. Infelizmente, no dia seguinte o livro acabou queimado por um incêndio que tive cá em casa. Não o cheguei a ler. Pergunto-me se terá sido um aviso? De qualquer maneira, e mesmo não tendo ainda lido o Principezinho, já fui visitar a Terra do Nunca e garanto-te, também ela é um mundo de sonho e de "crianças". Infelizmente, como tu disseste, o Peter Pan também cresce... Mas não devia...

    Anyway, gostei do teu blog :)

    --
    Ghost.

    ResponderEliminar
  15. O Principezinho está longe de ser um livro de crianças... Tanta sabedoria só pode ser apreendida depois da vida nos ter dado já alguma bagagem, e isso não acontece na infância e está longe de acontecer na adolescência...

    ResponderEliminar
  16. Andreia, Regina e Soraia15 de janeiro de 2009 às 15:55

    ESTE BLOG NAO CONTEM NADA DE INTERESSANTE, NAO NOS AJUDOU NADA NO TRABALHO, POIS NAO CONTEM NENHUM RESUMO..=b

    oBRIGADO POR NADAAA!!...

    ResponderEliminar

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails